Após serem dispensados pelo Flamento, Vasco convida sobreviventes do incêndio no Ninho do Urubu para teste

130

O Vasco convidou para um período de teste os cinco jogadores que estavam no dia do incêndio no Ninho do Urubu e foram dispensados pelo Flamengo. Por ora, os meninos entre 14 e 16 anos, sobreviventes da tragédia de quase um ano atrás, ainda não deram certeza se vão aceitar o chamado do clube de São Januário.

Felipe Cardoso (meia), Wendel Alves (atacante), João Victor Gasparin (lateral-direito), Naydjel Callebe (zagueiro), Caike Duarte Pereira da Silva (meia) não tiveram o contrato de formação renovado. A decisão do Rubro-Negro foi comunicada a eles entre os dias 7 e 9 de janeiro. Na última sexta-feira, o Vasco entrou em contato.

– Assim que a gente teve notícia de que os atletas tinham sido dispensados do Flamengo, buscamos o contato dos responsáveis, entramos em contato e colocamos o Vasco à disposição para um período de treinos. É normal que atletas ao saírem de clube grande procurem ingressar diretamente em outros sem precisar de avaliação. A gente entende a expectativa que eles têm. A gente quis se colocar à disposição para, caso eles não consigam, tenham as portas do Vasco abertas – explicou Witor Bastos, coordenador de captação do Vasco, ao GloboEsporte.com, para completar:

– Eles terem saído do Flamengo não é demérito. É um clube de alto rendimento e os jovens podem oscilar. Mas a pressa que a gente teve de colocar o Vasco à disposição teve um caráter social. O Vasco tem essa parte social muito sensível sempre. Faz parte da essência e da história do clube. Não tem como fugir disso.

Normalmente, o período de teste é de 15 dias no Vasco. Os meninos treinam e são avaliados pelos profissionais do clube. Ao término, recebem a notícia de aprovação ou não.

O GloboEsporte.com entrou em contato com Clara Boroski, a mãe de Naydjel Callebe. Ela confirmou o convite do Vasco, mas disse que a família ainda não decidiu o que fazer.

– Desde que o Vasco entrou em contato, estamos pensando. Ficamos muito abalados com a tragédia e as mortes dos meninos. Graças a Deus o meu filho não se machucou e ficou bem. Além disso, fomos pegos de surpresa pela decisão do Flamengo. Não entendemos. Vamos conversar e ver ainda o que fazer. Tem muita coisa para ser pensada – disse Clara.

Adriana Gasparin Torrezan, mãe de João Victor Gasparin, também confirmou ao GloboEsporte.com o contato do Vasco. Ela agradeceu, mas informou que o filho já havia combinado de fazer um teste em outro clube:

– Ele recebeu o convite, mas já tínhamos acertado o teste com outro clube. Ficamos felizes pelo convite do Vasco, mas teremos que aguardar. A tragédia que deixou 10 meninos mortos no Ninho do Urubu completa um ano no próximo dia 8 de fevereiro.

Quem são os meninos dispensados pelo Flamengo e convidados pelo Vasco

  • Felipe Cardoso, meia de 16 anos, chegou ao Flamengo no início de 2019, após início no Santos. No dia da tragédia, ele conseguiu se salvar e ainda ajudou outros companheiros a fugir.
  • Wendel Alves, atacante de 15 anos. Assim como Felipe, chegou ao Flamengo dias antes do incêndio. Na ocasião, ele quebrou uma janela para ajudar os companheiros a fugir das chamas.
  • João Victor Gasparin, lateral-direito de 15 anos, chegou ao clube com 13 anos e passou a dormir no Ninho quando completou 14. No dia do incêndio, contou aos pais que, inicialmente, achou que o alerta dos amigos era uma brincadeira, mas conseguiu escapar em tempo.
  • Naydjel Calleb, zagueiro de 15 anos. Foi um dos últimos a conseguir escapar antes de o fogo tomar conta do alojamento.
  • Caike Duarte Pereira da Silva, meio-campista de 14 anos, conhecido como Paquetá, pela semelhança física com o ex-meia rubro-negro.

Fonte: Globo.com/esporte

Facebook Comments