Energisa é a empresa mais reclamada no Procon-RO em 2019; veja top 10

115

Procon Rondônia divulgou nesta semana o ranking das dez empresas mais reclamadas por consumidores em 2019. A primeira posição é ocupada pela Energisa, companhia responsável pelo fornecimento da energia elétrica no estado, com 1.492 notificações a mais do que a segunda colocada. Ao todo, 9.927 procedimentos foram instaurados em Rondônia contra essas dez empresas.

Ao G1, o coordenador da agência, Estevão Ferreira, informou que as empresas do top 10 estadual representam quase 46% das reclamações gerais durante o ano passado, que passaram de 21 mil atendimentos.

No balanço dos municípios, Porto Velho lidera o ranking geral de reclamações, com um total de 9.536 queixas, seguida por Ariquemes (4.578) e Vilhena (2.577). Completando o top 5 apareceram, em sequência, Ji-Paraná (2.314) e Rolim de Moura (693).

Empresas mais reclamadas

Ocupando a primeira posição do ranking estadual, a Energisa recebeu 3.420 reclamações, o que corresponde a 34% do top 10 e aproximadamente 16% do relatório geral.

A companhia também se destaca em primeiro em todos os cinco municípios com maior demanda do estado: Porto Velho (1.803), Ariquemes (651), Vilhena (287), Ji-Paraná (241) e Rolim de Moura (120).

“A gente destacou que, desde novembro para cá, quando surgiu esse ‘boom’ de reclamações, a empresa vem tentando se adequar a ter um pouco mais de flexibilidade em resolver os problemas dos clientes”, esclareceu Estevão sobre a Energisa.

No setor de telefonia, a operadora Oi ficou em primeiro lugar da lista com mais reclamações: 1.928. Em segundo lugar está a Claro, com 1.435, e a Vivo na terceira posição, com 941. A TIM Celulares foi a menos reclamada no setor: 629 reclamações.

Confira a lista das 10 empresas mais reclamadas em 2019:

Empresa N° reclamações
1 – Energisa 3.420
2 – Oi (TV e banda larga) 1.372
3 – Claro 1.435
4 – Vivo e GVT (telefonia) 941
5 – TIM celular 629
6 – Oi móvel 556
7 – Banco Bradesco 503
8 – Gazin 399
9 – Caixa Econômica 337
10 – Águas de Ariquemes 335

Fonte: Procon-RO

Fonte: Portal G1-RO

Facebook Comments