Campanha vai combater assédio em bares, restaurantes e casas noturnas no Carnaval de Curitiba

110

O Carnaval, a maior festa popular brasileira, está se aproximando e com ele aumentam os casos de assédio e importunação sexual em até 20%, segundo serviços de direitos humanos e de atendimento à mulher. Para combater a incidência destes delitos, uma campanha vai mobilizar empresários e colaboradores de bares, restaurantes e casas noturnas.

A ação será lançada às 22h desta quinta-feira (13), no Bar Doce Lar de Curitiba. A iniciativa é resultado de uma parceria da Assessoria de Direitos Humanos e Políticas para a Mulher com a Associação Brasileira de Bares e Casas Noturnas (Abrabar) e o Sindicato das Empresas de Gastronomia Entretenimento e similares de Curitiba (SindiAbrabar).

O convênio foi firmado na quarta-feira (12), com a presença da assessora Elenice Malzoni, o presidente da Abrabar e SindiAbrabar, Fábio Aguayo e o vice-presidente do SindiAbrabar, Gustavo Grassi Severino e a técnica da Assessoria, Carolina Teles do Nascimento.

A ação conta ainda com apoio da Secretaria Estadual da Justiça, Trabalho e Família, comandada pelo deputado federal Ney Leprevost. A iniciativa também poderá ser replicada nas grandes cidades do estado que tem vocação para o Carnaval, como Tibagi e Litoral e Foz do Iguaçu, que vai receber milhares de turistas estrangeiros.

Envolvimento
“Esta é uma ótima ação de conscientização e é importante fazermos parte dessa corrente”, disse Fábio Aguayo. A campanha prevê repasse, aos bares, restaurantes e casas noturnas, de leques, adesivos e folhetos com o tema “Respeite o meu espaço, assédio não combina com Carnaval” para serem distribuídos aos frequentadores.

“Quanto mais parceiros e pessoas sejam sensibilizadas mais saudável e divertido será o Carnaval para todos”, complementa Elenice Malzoni. A ação acontece em paralelo nos blocos, encontros pré-carnavalescos e nos dias de Carnaval. Os detalhes e agenda da iniciativa estão no site www.curitiba.pr.gov.br.

“Não é Não!”
De acordo com Fábio Aguayo, a intenção é aproveitar a conscientização do Carnaval para realizar ações durante o ano todo, igual a campanha “Não é Não” lançada em 2015. “Esta iniciativa, idealizada pelo Glaucio Monjolo, do Bossa Bar, ultrapassou os limites do Paraná e foi copiada em outros estados”, disse o presidente da Abrabar/SindiAbrabar.

Aguayo lembra que os crimes contra a dignidade sexual estão em alta no Paraná. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública (Sesp-PR), a cada sete horas é registrado um boletim denunciando crimes como importunação sexual, divulgação de imagens e vídeos com conteúdo sexual sem consentimento e até o estupro coletivo.

No ano passado, até setembro, haviam sido 963 casos, alta de 43,5% na comparação com o mesmo período de 2018. Somente no transporte coletivo de Curitiba foram 75 ocorrências de importunação sexual no ano passado, com crescimento de 27,12% em relação ao ano anterior.

Fonte: Assessoria

Facebook Comments